Educar – uma paixão que se renova

“Nossa missão é grande e por isso necessitamos
de grandes virtudes, de um coração magnânimo, grande fé,
esperança e amor, todas as virtudes em altíssimo grau.”(B. Maix, 1871)

 

A Educação é o maior bem, a maior riqueza para todo e qualquer ser humano. A pessoa, pela cultura que assimila, consegue pensar, refletir de forma crítica, decidir com maior clareza e contribuir para um mundo melhor. Somos o que somos pela educação. O legado de nossa Bem-Aventurada Bárbara Maix, quanto à educação-formação, destaca como proceder pedagogicamente e acontecer o preparo para a vida: “Devemos educar as crianças e os jovens de tal modo que saibam viver, sofrer e lutar em qualquer circunstância de vida, como boas cristãs/ãos e sentirem-se aptas/os e úteis para qualquer condição de vida digna.” Os ensinamentos sobre o ideal de vida, a mística do agir e os valores do cotidiano: acolhida, diálogo, solidariedade, corresponsabilidade, Bárbara hauriu do evangelho de Jesus, e passa esta herança às continuadoras Irmãs, leigos e leigas da Congregação. Isto é, “uma educação, que privilegia a infância desvalida, jovens e adultos, em especial os mais frágeis e necessitados.” Infelizmente, o atual sistema neoliberal, capitalista continua insuflando muito mais o ter e o poder, do que o ser pessoa. Alguns poderosos detêm a maior parte dos bens do país e do mundo em detrimento da maioria populacional. O povo sofre e percebe-se roubado, marginalizado, juntando-se a isso um vazio existencial, a falta de motivação, de sonhos e esperanças, que lhe devem conferir legitimidade e cidadania.

A realidade histórica em que vivemos e estamos inseridos mostra como contraponto universal o Evangelho de Lucas que apresenta um programa de vida para os educadores ao proclamar: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me consagrou e me ungiu para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos e para proclamar um ano da graça do Senhor”. Cada educador é ungido e enviado junto aos jovens, crianças, adultos que encontramos em nossos caminhos e escolas, oportunizando o conhecimento crítico e libertador, em especial, das opressões, das amarras e escravidões da modernidade, sendo agente consciente de sua história. A vocação do educador consiste em abrir os olhos, a mente, o coração para a realidade humana. Educar é transformar. Educar é libertar.

= Libertar os cegos é ajudá-los a ler, ver, enxergar o mundo com olhos de paz e bem;
= Libertar os surdos, ajudá-los a ouvir, sentir, perceber a forma dinâmica da vida e o belo;
= libertar os mudos, ajudá-los a expressar seu ser, pensar, agir, assumir e comprometer-se;
= libertar os presos de si mesmos, do medo, da insegurança, para o um convívio alegre, saudável, integrador de suas energias;
= libertar os oprimidos da falta de fé, de esperança e viver seus sonhos e convicções;
= libertar do jugo da lei e fascinar-se pelo encanto que a vida está a oferecer;
= libertar da autossuficiência, do fechamento sobre si e realizar a transformação;

Essa é a pedagogia da libertação de Jesus, de Bárbara Maix, de Paulo Freire e vem sendo abraçada como causa maior da educação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria e seus colaboradores. Uma educação a serviço da transformação pessoal e social, sendo a pessoa o agente da própria libertação. Este processo de formação humana faz o educador acreditar nos jovens, crianças e em seu poder criador, embora o contexto ainda seja de O educador apaixonado acredita na possibilidade de acordar a consciência do aluno, para que ele seja capaz de exercer seu papel de cidadão e se habilitar a revolucionar a sociedade para o bem, a verdade, a justiça a fraternidade universal.

Querido educador, educadora! Tudo o que fizermos pelo outro é para torná-lo mais humano e feliz e consequentemente, quem se beneficia primeiro é o próprio educador. A medida que nós usamos e nos doamos, é a medida que recebemos, mas de forma dobrada e Gratidão eterna à Equipe de Educação, pois juntas, somamos forças, buscamos reavivar nossas metas, revitalizar a missão, animar nossa comunidade. Gratidão a cada Educador, Educadora pelo desvelo, pelo carinho, pela vida doada com amor, ternura e paixão.

“Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena”(F. Pessoa)

Ir. Amelia Thiele – Setor Educação

Deixe seu comentário