PELOTAS: Relíquia da Bem-Aventurada Bárbara Maix é entronizada em Capela

 
 
 

A devoção à Bem-Aventurada Bárbara Maix (1818-1873) se fortalece em Pelotas, no Rio Grande do Sul. A comunidade católica acolheu com alegria a entronização da relíquia – fragmento de osso da religiosa – que permanecerá em exposição permanente na capela do Instituto Nossa Senhora da Conceição. Bárbara Maix é a fundadora da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria.

A entronização da relíquia de Bárbara é parte das celebrações do Ano da Vida Religiosa Consagrada na Arquidiocese de Pelotas. Outra motivação ainda mais especial está no fato de que há 160 anos, Madre Bárbara Maix pisava pela primeira vez em solo gaúcho. Em 1855, a fundadora ICM instalou a comunidade de Irmãs que administrou o então Asilo Nossa Senhora da Conceição, obra de caridade dedicada às crianças órfãs.

A Missa foi realizada no sábado, dia 06 de dezembro, no Santuário da Adoração e foi presidida pelo arcebispo de Pelotas, Dom Jacinto Bergmann. O metropolita destacou a coragem de Bárbara Maix em deixar a Áustria, sua terra natal, para vivenciar o chamado de Deus no Brasil: “É modelo de santidade, mulher corajosa que deixou sua pátria e veio para o Brasil e aqui iniciou uma grande obra, a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria. Seu amor e empenho pelos mais pobres, fez dela modelo de profecia e esperança”.

Entronização da Relíquia  de Bárbara Maix 05

Após a celebração, a relíquia de Bárbara Maix foi conduzida em procissão até a Capela do Instituto. Neste espaço, a Obra ICM no Rio Grande do Sul foi iniciada, conforme explica Irmã Gentila Richetti, postuladora da causa de canonização:

“Bárbara Maix buscou sempre e em tudo a Vontade de Deus, comprometida com os pobres, conforme o espírito das primeiras comunidades cristãs. Rezou com suas Irmãs, com as crianças, jovens e administradores nesta Capela do então Asilo de Órfãos Nossa Senhora da Conceição. Aqui, em 1855, iniciou sua missão no Rio Grande do Sul. Hoje, o Instituto é uma obra Beneficente de Assistência Social e está sob a responsabilidade das Irmãs Franciscanas”, afirmou.

A relíquia permanecerá em exposição permanente no local. Os devotos devem consultar os horários disponíveis para a visitação através do telefone (53) 3222-4089. Irmã Gentila explicou a importância de uma relíquia religiosa para os católicos: “A Relíquia da Serva de Deus, neste local como em tantos outros, possa ser, como Bárbara o foi durante a vida, sinal e estímulo de generosa doação na construção do Reino de Deus e sua justiça, e constante convite à promoção e defesa da vida” disse Irmã Gentila.

BEM-AVENTURADA BÁRBARA MAIX

Bárbara Maix (1818-1873), nasceu em Viena na Áustria, mas foi no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, que a religiosa construiu sua missão de forma heroica, dedicando-se aos pobres e necessitados, especialmente às crianças. Em 1849 Fundou a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria. Em 2010, o Vaticano reconheceu a cura do menino Onorino Ecker (Caxias do Sul) como milagre atribuído à intercessão de Madre Bárbara. A Cerimônia de beatificação aconteceu no dia 6 de novembro em celebração que reuniu mais de 15 mil pessoas no Gigantinho.

Deixe seu comentário