18 dez

A Juventude é uma fase de definição de identidade, de opções, de inserção em espaços e grupos, de vivências, de busca contínua por uma expressão de fé que dê sentido a sua vida e de resposta a sua Vocação. Diferente do que muitas pessoas pensam, alguns valores continuam sendo importantes, buscados e assumidos pelos jovens, como: a democracia, o diálogo, a busca de felicidade, a transparência, os direitos individuais, a liberdade, a justiça, a sexualidade, a igualdade e o respeito à diversidade.

A Igreja que acolhe esses valores encontra espaço para aproximar-se, escutar, evangelizar os jovens e descobre-se fascinada por eles. O Documento de Aparecida reafirma a opção de Puebla pelos jovens, como preferencial e, nos desafia, enquanto Igreja, a fazer essa opção como prática de nossa vida missionária comprometidos com o Projeto de Jesus.

Todo jovem, como todo cristão, recebe o convite de Jesus para ser discípulo. O chamado é pessoal: “Vem e Segue-me”. Como resposta, o jovem é convidado a ser protagonista de sua história e, consequentemente, da história da humanidade, sendo sujeito ativo, discípulo missionário que busca construir e assumir o seu Projeto de Vida e se envolvendo com as questões sociais como forma de exercer a sua cidadania.

O Papa Francisco, na JMJ, envia os Jovens: “Ides para servir. A vida de Jesus é uma vida para os outros, uma vida de serviço”. Este envio é dirigido a nós para sair de nós mesmos, nossas casas e compartilharmos nossas vivências e experiências, testemunhando a fé na pessoa de Jesus. E Papa Francisco ainda afirma: “anunciar o Evangelho é o mandato que o Senhor confia a toda a Igreja, também a você. É uma ordem sim; mas não nasce da vontade de domínio ou de poder, nasce da força do amor”.