A Causa missionária deve ser para toda a Igreja, a primeira de todas as causas, (RMi, n. 86).

 
 
 

A Causa missionária deve ser para toda a Igreja, a primeira de todas as causas, (RMi, n. 86).

Estamos vivendo um tempo favorável para a Igreja no Brasil: a preparação e realização do Sínodo para a Igreja na Região Pan- Amazônica  e o Mês Missionário Extraordinário, ambos convocados pelo Papa Francisco, por uma fecunda ação missionária da Igreja capaz de fazer a diferença mundo.

Por ocasião do Centenário da promulgação da Carta Apostólica Maximum Illud  sobre a atividade desenvolvida pelos missionários e missionárias no mundo, o Papa Francisco proclamou o mês de outubro de 2019, como o Mês Missionário Extraordinário para celebrar com intensidade a vitalidade missionária da Igreja. A missão renova a Igreja, revigora a sua fé e identidade, dá-lhe novo entusiasmo e novas motivações. É dando a fé que ela se fortalece! (cf. RM, n. 2). Aderir a este mandato do Senhor não e opcional para a Igreja, é uma obrigação imprescindível como recordou o Concilio Vaticano II.

Batizados e enviados, a Igreja de Cristo em missão no mundo, é o tema escolhido pelo Papa Francisco para o Mês Missionário Extraordinário 2019. A missão é de Deus e a sua Igreja povo de Deus, é chamada a colaborar nesta tarefa missionária.

O Papa Francisco com esta proclamação, objetiva: despertar em medida maior a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral. Trata-se de acontecimento eclesial de grande relevância que abrange todas as Conferências Episcopais, os membros dos Institutos de Vida Consagrada, as Sociedades da Vida Apostólica, as Associações e Movimentos Eclesiais.

A missão nasce do encontro com Jesus Cristo que dá novo horizonte à vida (DAp 29). A missão primeira da Igreja é Evangelizar e formar discípulos missionários. O Mês Missionário Extraordinário nos proporciona a oportunidade para retomar o verdadeiro sentido da atividade missionaria que ainda em nosso tempo, representa um grande desafio para a Igreja. Anunciar Jesus Cristo com palavras e obras é nossa missão.

O Papa Francisco recorda com grande veemência o convite para acolher o Mês Missionário Extraordinário, como oportunidade de conversão para a missão: espero que todas as comunidades se esforcem por implementar os meios necessários para avançar no caminho de uma conversão pastoral e missionaria, que não pode deixar as coisas como estão.

As cartas de motivação e convocação do Papa Francisco e do Cardeal Filoni para o Mês Missionário Extraordinário indicam seis dimensões para melhor celebrar e vivenciar esta nobre causa: Encontro, Testemunho e vivências, Formativa, Caridade missionária, Cooperação e Celebrativa.

Várias iniciativas estão sendo promovidas pela CNBB e Igreja Particular, dentre elas, estão: lançamento do Programa Missionário Nacional (2019-2023); abertura nacional em outubro no santuário de Aparecida e em cada Igreja Particular; valorizar o Dia Mundial das Missões; propor aos folhetos litúrgicos a oração dos fieis e a oração missionária; incentivar a novena e terço missionário; propor ligação com os meses temáticos (mariano, vocacional, semana da família e bíblia), valorizar a temática do Mês Missionário Extraordinário nos retiros dos presbíteros, dos consagrados (as), seminaristas e leigos; inserir a temática na novena dos padroeiros e acolher e somar forças, sobretudo com a Igreja de Roraima, diante da situação dos imigrantes Venezuelanos.

Que o Mês Missionário Extraordinário, seja para toda Igreja e a Congregação, motivo de intensa alegria missionária.

 

Irmã Maria Aparecida Barboza

Conselheira Geral

Área de Animação Missionária

Deixe seu comentário