Ação ICM em Fortaleza leva Arte e formação às crianças, adolescentes e mulheres

 
 
 

Na capital Cearense, Fortaleza, a inserção das Irmãs do Imaculado Coração de Maria é símbolo forte de promoção e defesa da vida, sobretudo de crianças, jovens e mulheres, fazendo frente aos sinais de destruição da dignidade humana. Na periferia da cidade, o projeto social apoiado pela Congregação, na Associação Pequeno Cidadão, coordenado pela Irmã Benta Libânio busca em meio a um cenário de violência e pobreza, transformar essa realidade com ações de prevenção e formação humana.

Conhecendo um pouco a realidade:Fortaleza é uma das maiores capitais do Brasil. A sua grande beleza natural vem sendo nos últimos anos, palco de inúmeros investimentos turísticos. Por outro lado, cresce assustadoramente o número de favelas onde as condições de sobrevivência são desumanas. É uma capital dos grandes contrastes sociais.

A Barra do Ceará faz parte desta grande periferia da cidade, localizada na orla marítima da zona oeste de Fortaleza. É uma região formada por conjuntos habitacionais e varias ocupações. Uma destas ocupações é a comunidade Goiabeiras, que, embora seja rodeada de uma beleza ímpar, dunas, mangues, rios, mares, fauna e flora é marcada por uma realidade social com alto índice de violência, tráfico de drogas, homicídios e pobreza. O desemprego, a falta de moradia, a saúde precária, a falta de saneamento básico, a educação de má qualidade são problemas gritantes que se agravam com o abandono e descaso do poder público.

Nesta realidade percebemos a Criança, o Adolescente e a Mulher empobrecida como principais vítimas, onde a maioria das famílias não tem condições socioeconômicas e culturais para oferecer aos seus filhos e filhas condições de vida digna. Alguns pais, mães, pressionadas pela extrema pobreza, acabam coniventes com a situação do trabalho infantil, da exploração sexual, ou qualquer outra atividade, mesmo ilegal, que ajude o orçamento familiar.

AÇÃO ICM – Dança, teatro, música e formação: É hora de transformar essa realidade.
 
Com este cenário, surge a importância de um trabalho na linha da prevenção junto às famílias. Deste apelo surgido do meio do povo, surge a ação solidária das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, que já é uma realidade. O trabalho tem como objetivo: proporcionar as crianças, adolescentes e familiares empobrecidas, um espaço de convivência fraterna, partilha de vida, auto-estima, formação humana, sócio-política, consciência crítica e o fortalecimento dos laços de solidariedade

 Algumas atividades realizadas destacam-se como: oficinas de dança, artesanato, teatro e capoeira; Oficinas temáticas: trabalho infantil, abuso e exploração sexual, violência contra mulher, direitos da Criança e adolescentes/ECA, drogadição, consciência corporal, gravidez e paternidade na adolescência, relações humanas, ecologia, meio ambiente e outros; Oficina de apoio à aprendizagem; reforço alimentar (uma refeição diária); confraternizações em datas comemorativas como: Páscoa, dia das mães, festa junina, dia do educador, dia das crianças e festas natalinas; jogos, recreação e passeio.

Dentre estas atividades destaca-seda semana do meio-ambiente, realizada entre os dias 01 e 04 de junho. Este evento marcou profundamente a comunidade. O assunto foi abordado por meio de palestras e também por meio da confecção de alguns objetos com aproveitamento de material reciclável. O evento atingiu seu objetivo, de provocar nas famílias, crianças e adolescentes da Associação Pequeno Cidadão, uma discussão sobre o cuidado com o ambiente, despertando o interesse pelo aproveitamento de material reciclável.

No encerramento deste evento foi feito com uma caminhada de limpeza da praia com a participação de crianças, adolescentes, mães, e demais pessoas da comunidade. Na oportunidade, foram afixadas faixas com escritos: “Como vamos cuidar de nossas praias? Jogue o lixo no lixeiro! O planeta pede ajuda”, dentre outras.
 
Vale destacar a contribuição dos artistas do Pequeno Cidadão: Lenivaldo e o seu personagem “Reciclado” que completou um ano de existência. “Reciclado” ajudou a dinamizar a caminhada, juntamente com mais dois personagens que chegaram e se somaram ao evento deste ano que foram: “Lalinha” na pessoa de Geissiane (educadora) e “Quindim” interpretado por Chandarlier (voluntário).

 

Deixe seu comentário