Artigo: Viu, sentiu compaixão e cuidou dele

 
 
 
Por: Ir. Maria Aparecida Barboza, icm*

Nesta quarta-feira, dia 26 de fevereiro terá a abertura oficial, pela Conferência dos Bispos do Brasil, da Campanha da Fraternidade 2020.

A Campanha da Fraternidade deste ano, com o tema: “Fraternidade e vida: Dom e Compromisso” e o lema: Viu, sentiu compaixão e cuidou dele (Lc 10, 33-34), nos possibilita a concretizar a fé em atitudes bem especificas, diante de um mundo que se transforma e a vida, em suas várias dimensões, ameaçada.

Desde 1964, a Campanha da Fraternidade é uma forma de viabilizar a missão da Igreja no Brasil, em defesa e promoção da vida. Ela é, também, uma forma privilegiada de viver a Quaresma com intensidade, alargar o olhar e perceber que o pecado ameaça a vida, como um todo.

O Objetivo Geral: “Conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida, como Dom e Compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, nossa Casa Comum”, já apresenta várias dicas de como devemos conceber a vida como dom de Deus e, ao mesmo tempo, cuidar dela com afinco e precisão.

A Campanha proclama que a vida, enquanto Dom e Compromisso, tem seu sentido em ver, solidarizar-se e cuidar. A vida é essencialmente samaritana, tal qual o homem que interrompeu sua rotina para cuidar de quem estava caído à beira do caminho (Lc 10, 25-37). Não se pode viver a vida passando ao largo das dores dos nossos irmãos e irmãs.

Os objetivos específicos nos dão um panorama de uma profunda conversão: passagem de uma cultura do descarte humano, para uma verdadeira cultura do encontro. São eles, a saber: apresentar o sentido da vida proposto por Jesus; propor a compaixão, a ternura e o cuidado; fortalecer a cultura do encontro, da fraternidade e da revolução do cuidado; promover e defender a vida da fecundação ao seu fim natural; despertar as famílias para a beleza do amor; preparar os cristãos e as comunidades para anunciar o Reino de Deus; criar espaços nas comunidades, para que todos percebam a vida como dom e compromisso; despertar os jovens para o dom e beleza da vida e para cuidar de outros jovens; valorizar, divulgar e fortalecer iniciativas em favor da vida e conscientizar para a vivência da ecologia integral.

O Tempo Litúrgico da Quaresma, com seu convite para a prática da Oração, Jejum e da Caridade, nos faz um forte apelo para olhar a vida a partir do olhar misericordioso de Jesus. O olhar de Jesus é um olhar pedagógico que envolve ação, integração, humanização, cuidado e proteção.

Seja este tempo uma oportunidade de romper com a indiferença e a cultura do descarte. O rompimento com a indiferença torna o samaritano mais humano. A compaixão expressa o zelo e cuidado ao modo próprio do SER de DEUS: aproximar-se e cuidar do outro. Servi-lo! Ver, sentir compaixão e cuidar apresentam-se como um autêntico PROGRAMA QUARESMAL:

– Escuta da Palavra que converte o coração;

– Verdadeira atenção pelos outros;

– Romper com a indiferença frente ao sofrimento;

– Disponibilidade para o serviço.

Torna-se, assim, visível a corresponsabilidade da vida humana, pois somos todos irmãos e irmãs (Mt 23, 8) e, por isso, responsáveis uns pelos outros. Assim se define a vida!
Com alegria acolhemos este grande desafio, que a Igreja nos coloca neste tempo de graça e conversão, e como discípula e discípulo de Jesus Cristo, assumimos a causa da defesa e promoção da vida, em todas as suas dimensões.

(Fonte: CNBB. Texto Base da Campanha da Fraternidade 2020)

 

– – –


Irmã Maria Aparecida Barboza, icm, 

É Mestra em Teologia Bíblica
e Conselheira Geral para a Animação Missionária das Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria

Deixe seu comentário