Discurso da Irmã Marlise Hendges no ato de entrega do Hospital Dom João Becker

 
 
 

SOLENIDADE DE ENTREGA DO HOSPITAL DOM JOÃO BECKER À IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA – PORTO ALEGRE

GRAVATAÍ, 31 DE JULHO DE 2018

Exmo. Sr. Marco Aurélio Soares Alba, Prefeito Municipal de Gravataí.
Excia. Rvma. Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano de Porto Alegre e presidente da CNBB Sul 3. Na sua pessoa saúdo as demais autoridades eclesiásticas
Exmo. Sr. Alfredo Guilherme Englert, Provedor da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Ao saudá-lo saúdo a todas as demais autoridades e membros da Santa Casa de Misericórdia.
Exmo. Sr. Procurador Keller Dornelles Clós, Coordenador da Procuradoria de Fundações.
Exma. Sra. Fabiana Cristina Dressler, diretora do Hospital Dom João Becker. Na sua pessoa saúdo as demais pessoas do Hospital Dom João Becker.
Queridas Irmãs: Jane Terezinha Segaspini, Diretora do Colégio Dom Feliciano, e demais Irmãs da Comunidade.
Irmãs do Conselho Geral: Irmã Elenar Luisa Berghahn, Irmã Elida Debastiani, Irmã Gema Tonial, Irmã Maria Bernardete Macarini e Irmã Maria Joana Guedini
Irmãs do Conselho Provincial da Província Maria Mãe de Deus
Querida Irmã Iraci Antonia Andres, vice-diretora do Hospital Dom João Becker e Irmãs da Comunidade do Hospital
Demais Irmãs da Congregação aqui presentes
Exmo. Sr. Marcelo Paz, diretor técnico do Hospital Dom João Becker.
Colaboradores e colaboradoras do Hospital Dom Joao Becker e da Sociedade Educação e Caridade.

Amigos e amigas!

No livro de Eclesiastes, capítulo 3, lemos: Debaixo do céu há momento para tudo, e tempo certo para cada coisa: Tempo para nascer e tempo para morrer. Tempo para plantar e tempo para arrancar o que foi plantado. Podemos dizer houve o tempo de assumir o Hospital e chegou o tempo de encerrar nossa atividade nele.

Na verdade, para a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, esse momento tem um significado muito maior do que o ato de entrega do Hospital Dom João Becker à Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Com a entrega deste Hospital nós estamos encerrando nossa atividade na área da Saúde Hospitalar. Houve um tempo fecundo em que muitas jovens aderiram ao Projeto de Vida Religiosa Consagrada, proposto pela Bem-Aventurada Bárbara Maix. O número era tão grande que de todos os recantos do RS vinham pedidos para as Irmãs assumirem principalmente Escolas e Creches. Em 1940 foi assumido o primeiro Hospital, na cidade de Dois Irmãos. Na sequência 15 outros hospitais próprios e um número significativo de hospitais de terceiros foram administrados pelas Irmãs. Geralmente onde havia Escola o povo solicitava também que as Irmãs assumissem o Hospital. Assim foi aqui em Gravataí.

Houve muitas Irmãs que se dedicaram à área da saúde. Com o Concílio Vaticano II, seguido do documento de Puebla, houve uma ênfase à missão evangelizadora em Meios Populares e a Opção preferencial pelos Pobres, o que levou muitas Irmãs a optarem por uma missão inserida junto aos pobres. Aos poucos as Irmãs foram deixando as Obras e começou a ficar cada vez mais difícil a sustentabilidade das mesmas. Assim, gradativamente fomos nos retirando dos hospitais sendo que hoje estamos encerrando definitivamente a atuação nesta área.

Este ato solene de entrega do Hospital Dom João Becker da Congregação à Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre tem um significado teologal porque tenho convicção de que foi o Espírito de Deus que conduziu este processo. O vínculo da Congregação com a Santa Casa remonta ao ano de 1856 quando a Diretoria da Santa Casa de Misericórdia, de então, ouvira falar muito a respeito da dedicada atuação das Irmãs do Coração de Maria nos Asilos de Niterói, RJ e de Pelotas, no RS. Anexa à Santa Casa havia a seção das crianças expostas, chamada também “Casa da Roda” onde as mães colocavam seus filhos quando não tinham condições de criá-los.

A Diretoria da Santa Casa pensou em confiar a Repartição dos Expostos às Irmãs do Coração de Maria. Madre Bárbara aceitou a proposta e veio pessoalmente a Porto Alegre onde permaneceu por 14 anos. A Diretoria pagou a passagem num bote à vela, três colchões e travesseiros para três Irmãs que vieram do RJ e o Irmão Provedor convidou todos os membros da Mesa Administrativa da Santa Casa para irem recepcionar as Irmãs no cais do porto e dali acompanhá-las até a Santa Casa. (Cf. Documentário).

Portanto, a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, primeira Congregação de vida ativa aqui no Rio Grande do Sul, chegou a Porto Alegre a convite da Santa Casa. Por isso a passagem do nosso último Hospital para a Santa Casa de Misericórdia vem resgatar a nossa origem aqui no Estado onde a Congregação teve um enorme florescimento, e grande atuação missionária que continua até hoje.

Temos certeza de que foi a Providência Divina, por intercessão de Bárbara Maix, que inspirou a ideia de procurar a Santa Casa para assumir o Hospital Dom João Becker. A continuidade, com os mesmos princípios éticos e cristãos, garantirá um atendimento de qualidade com os mesmos padrões de cuidado e de humanidade.

Consideramos uma Graça alcançada da Bem-Aventurada Bárbara Maix, justamente neste Ano em que Celebramos o Bicentenário do seu Nascimento.

O momento é de profunda emoção e gratidão:

– a Deus que sustentou a vida e missão das Irmãs aqui em Gravataí, no Hospital Dom João Becker, pelo período de 60 anos. Ele sempre velou por todas, conforme Bárbara.
– A Dom Jaime Spengler, nosso Pastor, pelo apoio, presença e incentivo.
– às Irmãs que aqui deram sua vida pela saúde do povo Gravataiense, em especial às Diretoras.
– À Irmã Jane Segaspini, diretora do colégio dom Feliciano e às Irmãs da Comunidade, pelo apoio e acolhida.
– À Irmã Irasci, atual vice-diretora e às Irmãs que estão aqui, hoje, ajudando no encaminhamento desta. Pela perseverança e fidelidade até o fim do processo.
– À atual Diretora Fabiana Dressler e ao Dr. Marcelo Paz que foram firmes, fortes e fiéis até o fim neste longo processo de encaminhamento.
– Aos médicos/as, enfermeiras/os, funcionários de todos os setores, colaboradores/as, nossa profunda gratidão. Deus os recompensará. Tenho certeza de que a Santa Casa dará continuidade de tal forma que todos continuarão a sentir-se em casa.
– Agradecemos também a todas as pessoas que apoiaram as Irmãs, aquelas que as ajudaram, incentivaram e foram suporte durante todo o tempo em que aqui permanecemos.
– Ao poder público, pela parceria e comprometimento com a saúde da população
– Ao Pároco, Pe. Tarcísio e seus antecessores, a todas as pessoas que de alguma forma colaboraram com as Irmãs, nossa profunda gratidão.
– À Irmã Maria Joana e Equipe de negociação que tiveram dedicação sem medida ao longo desses 5 anos na busca de uma solução.
– Uma palavra especial de Gratidão ao Sr. Alfredo Englert, Provedor da Santa Casa de Misericórdia, gratidão extensiva ao Dr. Júlio, ao Sr. Osvaldo Balparda, a toda Mesa Administrativa e todas as pessoas da Santa Casa, por acolherem com carinho e responsabilidade a continuidade da missão no Hospital Dom João Becker.
– A melhor forma de gratidão é pedir a Deus que os abençoe, que lhes dê como recompensa uma vida alegre, feliz, o sentimento do dever cumprido, a satisfação pelo bem realizado.
– A parábola da semeador é muito oportuna, ela nos diz que no hospital foi semeada a semente da bondade, da saúde, da cura. A Santa Casa de Misericórdia dará continuidade à semeadura e produzirá frutos de vida digna com saúde para o povo.
Com certeza quem se dedica à vida das pessoas enfermas, ajudando-lhes a recuperar a saúde o faz por amor e cumpre o mandato de Jesus: estive enfermo e cuidaste de Mim.

E a estes Jesus dirá: Vinde a mim, benditos do Meu Pai.

Que a Santa Casa continue sendo guardiã da saúde do povo de Gravataí. E que Deus os abençoe neste tarefa sagrada de cuidar da vida, por intercessão do Imaculado Coração de Maria e da Bem-Aventurada Bárbara Maix.

Muito obrigada!

Irmã Marlise Hendges
Diretora Geral
Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria