Irmã Maria Helenita Sperotto (1997-2002)

Reler, fazer memória, atualizar é inerente ao compromisso de fidelidade ao Reino de Deus. Na busca em articular a complexidade congregacional e o dinamismo missionário  contextualizados numa sociedade complexa, assume a Superiora Geral – Irmã Maria Helenita Sperotto – 1997-2002. Ela  mesma faz a narrativa: 
Considero os anos de 1997 a 2002 em que estivemos como Conselho Geral na Coordenação da Congregação, um tempo de graça. No exercício da gestão circular e da participação, procuramos manter, como fio condutor, o mesmo espírito que animou Bárbara e suas companheiras no Nascimento da Congregação: A Congregação é Obra de Deus e é nossa enquanto nos identificamos com a Vontade d’Ele. Sob esta luz, citaremos alguns destaques do sexênio. 
No contexto social, tivemos dois Fóruns Sociais Mundiais em Porto Alegre (2001 e 2002), propondo uma mundialização cooperativa, solidária e acreditando que “um outro mundo é possível”, com participação de bom número de Irmãs. Setembro de 2001 foi marcado pelo atentado às Torres Gêmeas, em Nova York, nos Estados Unidos. Foi um período de crescentes fenômenos da globalização, guerras localizadas, corrupção e narcotráfico.
Enquanto Igreja, celebramos o jubileu dos 2000 anos do nascimento de Jesus Cristo e os 50 anos de fundação da Conferência dos Bispos do Brasil – CNBB, em 14 de outubro de 2002. No ano 2000, os 500 anos de colonização do Brasil e vinda de missionários.
A Conferência Latino-Americana dos Religiosos – CLAR lançou a proposta de trabalho para toda a Vida Religiosa da América Latina e Caribe com o tema “Pelo Caminho de Emaús”, como meio de refundação. Proposta acolhida pela Conferência dos Religiosos do Brasil – CRB e pelas Congregações.
Como Congregação, vivemos grandes jubileus: os 150 anos de Fundação Oficial da Congregação no ano de 1999; em 2002, três Províncias celebraram o Jubileu de 50 anos de fundação: São Paulo, sob a proteção do Menino Jesus; Porto Alegre, sob a proteção da Santíssima Trindade e Santa Maria sob proteção do Espírito Santo.
Em 09 de dezembro de 2000, foi realizada a transferência da Sede Geral da Rua Mostardeiro, 362, Bairro Moinhos de Vento, para a Rua Ramiro Barcelos, 1001, Bairro Independência, com as devidas implicações legais a uma Sede de Entidade. Em 2001, deu-se a inauguração do Arquivo Geral da Congregação na Rua Riachuelo, 508, em Porto Alegre. Como Conselho, assumimos o projeto capitular com a meta: O Reino de Deus. Constituímos várias equipes como novos espaços de reflexão. Dentre eles, o Curso de Revitalização Espiritual – CRE-ICM,  com duração de um mês, atendendo uma experiência holística e a equipe de Irmãs para preparar e animar os retiros na Congregação.
Damos continuidade ao processo de Beatificação e canonização de Bárbara Maix, sobretudo na busca de maior vivência do espírito que animou Bárbara e as primeiras Irmãs, conforme a recomendação do Monsenhor Gutiérrez na visita à  Congregação das Causas dos Santos, em Roma, no ano de 2000. A sala onde as Irmãs trabalharam o processo em nível diocesano de Beatificação e canonização passou a figurar como Sala Bárbara Maix, contendo a documentação. A Capela São Rafael, patrimônio afetivo e histórico da Congregação, foi restaurada (2001 a 2002) e, por recomendação de Dom Antônio do Carmo Cheuiche, ganhou centralidade em Jesus Cristo Ressuscitado. 
Concluímos o sexênio em novembro de 2002, com profundo reconhecimento e confiança em Deus pela vida da Congregação. Os 153 anos de existência e grande vitalidade, apesar dos desafios, é, para nós, sinal de que Deus está agindo conosco e cuida desta Obra (vinha) com especial carinho como Ele mesmo diz: “Nesse dia, cantarão para a vinha formosa. Eu, Javé, sou responsável por ela. Eu a rego com frequência; para que ninguém venha estragá-la, eu a vigio dia e noite”. (Is 27,2-3).
Ir. Maria Helenita Sperotto

 

Deixe seu comentário