Madre Maria Inês de São Luiz (1913 – 1922).

Certa de que a história tem seu próprio percurso e, dentro desse, realiza-se o Projeto de Deus, Maria da Conceição Wetterle Negrini assume a vida da Congregação como Superiora Geral – Madre Maria Inês de São Luiz (1913 – 1922).    
Foi nomeada por Dom João Becker, em substituição à Madre Margarida, em 1913, e pediu demissão em 1922. Para ela as visitas às Comunidades eram de suma importância. Reuniões periódicas com as Superioras das Comunidades foram iniciadas por ela.
Madre Inês não mediu esforços, a fim de obter a aprovação definitiva da Constituição. Além de grande talento musical, compondo diversas músicas sacras, era uma pessoa inteligente, decidida, firme e paciente nas adversidades e sofrimentos.
No seu governo, aconteceu a transferência da Sede Geral da Congregação para a residência própria, ao lado da Capela São Rafael. Fundou o orfanato São Benedito em Bagé e a Escola Santa Teresinha no bairro Glória, em Porto Alegre, para onde foi transferido o Noviciado.
Devido à secularização de algumas Irmãs que não quiseram aceitar as reformas do Instituto, Madre Inês sofreu profundo desgosto. Levada pelo seu espírito de humildade, renunciou ao cargo de Superiora Geral, para evitar a iminente separação das Comunidades de São Paulo. Quando deixou o cargo de Geral, Dom João Becker a nomeou como Mestra de Noviças. Permaneceu nessa função por três anos. Faleceu em 1956.

Deixe seu comentário