Irmãs Michele da Silva e Marie Mirca participam da Missão da Vida Religiosa Jovem na Ilha do Marajó

 
 
 

A Conferência dos Religiosos do Brasil, a CRB Nacional promove a 5ª Missão da Vida Religiosa Consagrada Jovem na Amazônia, de 15 a 28 de julho, na Prelazia do Marajó (PA). A Missão será nas comunidades ribeirinhas do rio Tajapuru.

A Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria participará da missão. A Irmã Michele da Silva, da Província Maria Mãe de Deus, e a Irmã Marie Mirca Ciméa, da Província Nossa Senhora de Guadalupe, participarão da ação evangelizadora.

“Gratidão a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, por meio da Província Maria Mãe de Deus, por esta oportunidade de missão, junto ao Povo Ribeirinho! Será uma experiência muito significativa de partilhas e aprendizado” disse a  Irmã Michele ao embarcar para o Pará, na manhã desta segunda-feira, 15 de julho. Já em São Paulo, ela encontrou a Irmã Mirca.

Irmãs Mirca e Michele são Irmãs ICM

Irmãs Mirca e Michele representam a Congregação na Missão Jovem

A missão tem o objetivo proporcionar aos jovens religiosos uma formação sobre a realidade da Amazônia, desenvolver um tempo de experiência missionária a partir da realidade dos jovens da Prelazia que será visitada e, a partir do intercâmbio de experiências na vivência conjunta entre os jovens, ajudar a criar uma consciência mais aberta da Igreja. As Irmãs ICM integram um grupo de 30 missionários de diferentes congregações e instituto.

SOBRE A ILHA DO MARAJÓ

O arquipélago do Marajó fica ao Norte do Pará e compreende 16 municípios. É uma das regiões com o menor Índice de Desenvolvimento Humano do País. As águas do Rio Tajapuru, que banham cidades como Breves, Melgaço, Portel, Anajás e Chaves são o cenário para a triste realidade do Marajó: a exploração sexual infantil dentro das embarcações. Muitas vezes, incentivadas pelos próprios pais, crianças das comunidades ribeirinhas saltam de balsa em balsa em troca de alimento, dinheiro ou óleo diesel. A situação acontece há anos na região, onde essas crianças são conhecidas como meninas e meninos balseiros. A presença dos religiosos é vista como sinal de esperança para aquele povo.

O bispo local é Dom Frei Evaristo Pascoal Spengler, religioso da Ordem dos Frades Menores (OFM).

Com informações da CRB Nacional

Deixe seu comentário