Irmã Miria Kolling: De Nampula para o Brasil

 
 
 
Minha experiência em terras moçambicanas chega à sua terceira e última etapa, na Província de Nampula, ao norte do país, onde vive o povo macua, o grupo mais numeroso, com língua, cultura, costumes e tradições bastante diferentes do sul, o que é uma riqueza…

Em Nampula (capital da Província), temos a Casa de Formação, atualmente com dez jovens aspirantes, animadas e alegres, dadas ao canto e à música; estudam e  fazem pastoral… Algumas experiências vividas, que merecem destaque:

 
1º) O 1º de maio, domingo, foi especial para toda a Igreja, com a beatificação do nosso querido João Paulo II. Em Nampula, tivemos uma solene e festiva Eucaristia, na Catedral, presidida por Dom Tomé Makhweliha, celebrando seus dez anos como Arcebispo desta Igreja, além de dois jubileus sacerdotais, com a presença de vários padres, religiosos e o povo de Deus. Solenizada com muito canto e ritmo, dança e procissões, o tempo se fez eternidade!

2º) Malema, experiência fantástica – alguém me aconselhou a fazer a viagem de comboio (trem) para Malema, distrito mais ao norte, chamada de “celeiro da Província”, pelas suas terras férteis, paisagens montanhosas, povo agricultor… Com 8h de duração, a caminho do Niassa (última Província de Moçambique), o comboio fez cerca de 20 paradas em pequenas estações, onde o povo sai das matas e aldeias, oferecendo seus produtos aos passageiros… Uma verdadeira “feira sobre os trilhos”, algo inimaginável!… Comovida, registrei as paisagens físicas e humanas, de uma beleza ímpar. Quisera mostrar a todos as mais de 200 fotos que consegui tirar, mas fica o registro do coração, além de umas poucas no meu site – Galeria de Fotos [http://www.irmamiria.com.br ] 

3º) Campo dos refugiados de Maratane – A notícia da existência desse campo já me chocara na televisão… Aqui chegando, tive a oportunidade de visitá-lo por duas vezes, com Pe. Rodenei, scalabriniano, que os assiste e lá celebra semanalmente a Eucaristia. O campo fica a uns 20 km de Nampula, e abriga cerca de 12.000 refugiados, sobre tudo homens, mas também famílias inteiras, vindos da Somália, Etiópia, Congo, Ruanda, Uganda e outros países africanos em guerra e conflitos… Moçambique os acolhe, mas tem poucas condições. Muitos morrem de fome, malária e outras doenças. Não há palavras para exprimir o sofrimento desse povo, de cuja boca o que mais se ouve é “Hungry!” (Fome!). É uma situação de quase total impotência!…

 
4º) Profissão Religiosa – O dia 8 de maio, fundação da Congregaçãodas Irmãs do ICM, nasceu ensolarado, com ar festivo e pascal. Como os discípulos de Emaús, fizemos a experiência do Ressuscitado, que nos visitou com sua graça, na Palavra e na Fração do Pão. Duas Noviças professaram seus primeiros votos e outra Irmã fez sua consagração definitiva, três frutos moçambicanos de nossa presença nessa terra fecunda. Dom Tomé presidiu a Eucaristia, com a presença da nossa Diretora Geral, Irmã Marlise Hendges, e da Coordenadora Provincial, Irmã Erena Bernardy, vindas do Brasil; muitos padres,religiosos, familiares e amigos, uma festa que foi de todo o povo de Deus. A Celebração, que teve início às 8 horas da manhã, só terminou ao cair datarde… Palavras mais não cabem para expressar mistério tão profundo emaravilhoso!…

5º) Ilha de Moçambique – O 11 de maio foi um dia histórico,assim como é histórica essa Ilha ao norte de Moçambique, primeira capital do país. Mais do que passeio, foi tocante experiência, sobretudo pela relação da ilha com o Brasil, no tempo do comércio e tráfico de escravos, quando milhares deles saíram da Fortaleza de São Sebastião que lá se ergue imponente, levadospara a Europa e as Américas. Triste página da nossa história!… Magníficas paisagens marítimas e importantes monumentos nos viram percorrer os quase 4 km de extensão da ilha, que em 1991 foi inscrita na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO. Para não esquecer jamais!… 

6º) Chalaua, Micane e Moma –  Chalaua e Micane são postos administrativos do distrito de Moma, que fica no litoral, de belos coqueiros e homens do mar. Aí, me aventurei a fazer um passeio de barco a vela, em que experimentei o medo dosdiscípulos… Felizmente tudo acabou bem… Chalaua é nossa missão mais antiga (1985), e em Micane, temos o “Lar Bárbara Maix”, que abriga 21 meninas, muito queridas. Divina foi a Celebração Eucarística em Maniquela, no IV Domingo da Páscoa, onde uma frondosa mangueira nos serviu de catedral porquase 5 horas, celebrando os sacramentos do Batismo, da Eucaristia e do Matrimôniode 22 casais. Como descrever as comunidades em festa vivendo as alegrias pascais?… Impossível!

No dia 31 de maio estarei de volta,mas com o coração brasileiro-moçambicano. 
Nampula, 25 de maio de 2011. 
Irmã Miria T. Kolling (Veja fotos, no site www.irmamiria.com.br ) 

Deixe seu comentário