Irmãs produzem máscaras para trabalhadores e educandos da OSICOM; Obra social enfrenta dificuldades

 
 
 

PORTO ALEGRE (RS) – Mais uma comunidade da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria (ICM) vive o distanciamento social com uma disposição solidária. No bairro Passo das Pedras, cinco Irmãs ICM estão produzindo máscaras que serão destinadas aos trabalhadores, crianças e adolescentes acolhidos nos projetos sociais.

Esta comunidade ICM é a responsável pelo gerenciamento da Obra Social Imaculado Coração de Maria, a OSICOM, instituição que há mais de 50 anos promove o cuidado e a educação de crianças, adolescentes, jovens e suas famílias.

Além disso, a OSICOM dinamiza, em diferentes comunidades da capital, o “Projeto Ação Rua” e também os “Abrigos Residenciais”, espaços que recebem crianças e adolescentes, em situação de risco pessoal, social e de violação de direitos. Estes abrigos estão em diferentes bairros da cidade.

De acordo com a Irmã Celia Aimi, diante da dificuldade para aquisição ou acesso às máscaras, importante equipamento de proteção individual contra a Covid-19, as Irmãs, que estão em isolamento social por serem do grupo de risco, decidiram, pelo trabalho de suas próprias mãos, confeccionar e fornecer as máscaras para aos trabalhadores e internos. A garagem de residência virou a ‘mini-fábrica’ de de confecção. Compõem a comunidade as Irmãs Ângela Tatto, Celia Aimi, Lirba Ceolin, Geny Maria Sartori (Marinice) e Zélia Maria Benvegnú.

“Em comunidade, já produzimos cerca de 200 máscaras,número que aumenta a cada dia, de TNT e também de pano. Estamos aproveitando até retalhos de pano. O trabalho no serviço de acolhimento residenciais não está parado e precisamos cuidar dos colaboradores e das crianças e adolescentes” disse a religiosa.

Além dos abrigos residenciais, as Irmãs também estão atentas e acompanham as famílias que residem próximo aos núcleos da OSICOM:

“Algumas famílias estão em dificuldades, por isso, acessam a OSICOM para receber a cesta básica conseguida com as parcerias dinamizadas pela comunidade das irmãs” pontuou.

CONVÊNIO SUSPENSO

Irmã Célia destaca ainda que o trabalho social da OSICOM está ameaçado e mais de 200 outras organizaçoes por conta da suspensão de convênios por parte da Prefeitura de Porto Alegre:

“Desde o dia 18 de março estamos em reclusão, conforme as autoridades solicitam. Na OSICOM, estamos com a equipe de 330 colaboradores, gerênciando a obra como podem. Infelizmente, boa parte dos colaboradores terão seus salários diminuídos por conta do suspensão do convênio. descreveu a religiosa.

Pessoas e empresas interessadas em fazer doações para os serviços, programas e projetos da OSICOM podem entrar em contato pelos telefones (51) 3344-5159 ou (51) 33985159.

Por: Magnus Regis | comunicacao@icm-sec.org.br

Deixa uma resposta

Seu endereo de email não será publicado.