Jornada mundial de oração contra o tráfico de pessoas foi realizado em Porto Alegre

 
 
 

PORTO ALEGRE/RS – Da mesma forma que há uma corrente do mal, há também uma grande corrente do bem para erradicar o tráfico humano – essa foi a mensagem principal de Dom Adilson Busin na Missa que celebrou Santa Bakhita e o dia mundial de oração e reflexão contra o tráfico de pessoas.

A celebração que aconteceu na tarde da sexta-feira, 07/02, na Paróquia Santuário Nossa Senhora do Rosário, foi organizada pela Rede Um Grito Pela Vida e colocou Porto Alegre, em comunhão com a Igreja no mundo, que promove o esse evento, convocado pelo Papa Francisco para o final de semana passado.

Na homilia, Dom Adilson Busin, bispo auxiliar de Porto Alegre e integrante da comissão episcopal para o Tráfico de Pessoas da CNBB, lembrou a história de Josefina Bakhita, sudanesa traficada ainda jovem para o trabalho doméstico. Como ela, disse o bispo, muitas pessoas, sobretudo mulheres e jovens, sofrem com a escravidão em suas múltiplas formas.

O bispo lembrou ainda o esforço de entidades ligadas à causa como a Vida Religiosa Consagrada e enfatizou que todos podem contribuir para a erradicação dessa “chaga vergonhosa”.

“Irmãs religiosas, irmãos leigos, irmãs leigas trabalhamos para ajudar. Evidente que não somos as pessoas que vão enfrentar os traficantes, mas colaboramos com a Polícia Federal, com a justiça, com os professores e com a sociedade para estancar esse crime. Se há uma rede do mal, há também uma rede do bem e nós devemos fazer parte” afirmou dom Adilson.

Este foi o terceiro ano consecutivo em que a Rede Um Grito Pela Vida promove o dia mundial de oração e reflexão contra o tráfico de pessoas. A entidade, reúne congregação religiosas e leigos no enfrentamento e prevenção a esse tipo de crime.

Na celebração, os fiéis rezaram a seguinte oração de Santa Bakhita:

 

 

Confira  mais fotos:

Deixe seu comentário