Mensagem aos Formandos do Programa de Desenvolvimento de Gestores para as Unidades de Ensino e Socioassistenciais.

 
 
 

Mensagem aos Formandos do Programa de Desenvolvimento de Gestores para as Unidades de Ensino e Socioassistenciais.
03 de maio de 2018

Ir. Marlise Hendges,
Diretora Geral ICM

Estimados integrantes da mesa:
Dom Leomar, Bispo Auxiliar de Porto Alegre e Referencial da Educação no Regional Sul 3 da CNBB; obrigada por presidir a Celebração e por estar presente neste ato.
Professor Gustavo de Ávila Martins, Assessor e Professor do Programa de Formação;
Irmã Elenar Luisa Berghahn Vice Diretora Geral e Conselheira do Setor Educação da Congregação
Irmã Maria Bernardete Macarini, Conselheira do Setor Assistência Social da Congregação
A você agradeço todo o empenho na coordenação e dinamização deste programa.
Queridos professores do Programa de Desenvolvimento de Gestores – Queridos Avaliadores dos trabalhos
Obrigada a vocês pela dedicação
Queridas Irmãs: Conselheiras Gerais, Irmãs das demais Unidades de Ensino e Socioassistenciais e outras Irmãs.
Obrigada pela presença e apoio
Queridas Irmãs e Colaboradores do Colégio Mãe de Deus Mãe de Deus, que nos ofereceu este espaço – nossa gratidão por ceder este espaço e por todo o serviço prestado.
Queridas Diretoras das Unidades de Ensino e Socioassistenciais, professores e educadores sociais, amigos e amigas. Agradecemos a presença e o incentivo de todos vocês.
Queridas Formandas e queridos Formandos!
Parabéns e Gratidão a cada um de vocês.

Este momento reveste-se de um significado muito profundo para a Rede ICM de Educação e de Assistência Social, e representa uma conquista para cada um de vocês. Estamos vivenciando a concretização de um sonho. ´
É significativo o fato de estarmos concluindo o curso do primeiro grupo de formandos do programa de Desenvolvimento de Gestores no ano do Bicentenário do nascimento da Bem-Aventurada Bárbara Maix. Poderíamos dizer que é um presente que damos a ela no aniversário dos 200 anos.

E, quando refleti sobre o que poderia dizer para vocês, nesse momento, em meio a muitas ideias que me perpassaram, pensei no legado que Bárbara deixou, no modo como ela viveu e onde ela buscou inspiração para gestar e gerir a Congregação.

E na minha reflexão emergiu uma das suas afirmações, muito conhecida de todos nós. Penso que a maioria de nós até sabe de cor, e a citamos com frequência. Mas, talvez não a tenhamos assimilado ainda suficientemente. Tenho certeza de que essa frase fundamentou toda a atividade gestora de Bárbara e fundamenta a gestão da Rede ICM. Ela a escreveu, em 1871: “Nossa Missão é grande, e por isso, necessitamos de grandes virtudes, de um coração magnânimo, grande fé, esperança e amor, todas as virtudes em altíssimo grau”. A força propulsora da vivência das virtudes fez de Bárbara uma gestora apaixonante, eficiente e eficaz. A sua obra completa 169 anos de existência. Por isso, junto com a ciência da gestão, é preciso continuar garimpando a vida de Bárbara para descobrir as fontes onde ela bebeu e que lhe conferiram esse modo de liderar tão ativo que faz a sua obra perdurar até hoje.

Queridas Formandas, queridos formandos, assim como em 1871, hoje, a missão nas Unidades de Ensino e Socioassistenciais é grande, é enorme. E por isso, necessitamos de grandes virtudes. Virtude é a disposição, é uma verdadeira inclinação em praticar o bem. Virtudes edificam trajetórias de sucesso na gestão. Elas não são uma teoria, mas uma prática a ser vivida no dia a dia. E eu gostaria de citar aqui as virtudes, vividas por Bárbara, em grau heroico, e que lhe concederam o título de Bem-Aventurada, Virtudes que continuam necessárias, hoje, para uma gestão eficaz e de qualidade. Virtudes que todo gestor e gestora deve cultivar e vivenciar no cotidiano da missão para que a Obra se perpetue:

A FORTALEZA. A Fortaleza nos faz ter firmeza de propósitos, nos torna disponíveis para a missão. A Fortaleza nos dá segurança e faz enfrentar dificuldades de cabeça erguida, não nos deixa desmoronar e abater por tempestades que surgem, mas nos faz persistir e resistir diante dos contratempos e seguir firmes e constantes nos princípios que nos regem. A fortaleza interior robustece a nossa vontade e nos mantém de pé quando tudo parece ruir e sem solução.

A PRUDÊNCIA: A virtude da Prudência, nos torna sábios no trato com os problemas e com as pessoas. Nos torna capazes de resolver, com segurança, casos difíceis e imprevistos. A prudência investe a pessoa do dom da sabedoria para saber orientar seus liderados, com amor. Quem é prudente, desenvolve o hábito do discernimento e da reflexão para decidir, com humildade e com firmeza. Prudência é dispor-se a ouvir o Mestre interior, sermos verdadeiros conosco mesmos e com as situações do dia a dia. É a virtude que nos torna confiáveis e nos faz permanecer firme e fiel à missão assumida. Os Santos Padres dizem que a prudência é a mãe de todas as virtudes, pois se eu quero saber como devo agir, tenho que estar baseado no mundo real com os pés no chão.

A JUSTIÇA: A virtude da justiça: Bárbara fala sobre a justiça, dizendo: “Procuremos o Reino de Deus e sua justiça em nós mesmos e naqueles que nos forem confiados”. A justiça deve guiar e aperfeiçoar as nossas ações. Esta virtude requer o cultivo da verdade, da sinceridade, do discernimento. A vivência da justiça, leva a empreender todos os esforços, para manter a paz. Segundo Aristóteles, a justiça é uma virtude total, completa, pois a pessoa justa pode exercer sua virtude não só em relação a si mesmo, como também em relação ao próximo.

A TEMPERANÇA: A virtude da Temperança é a virtude da moderação e do equilíbrio, que ordena os afetos, que leva à maturidade, a liberdade interior, a integração pessoal. Nos leva a superar o narcisismo, a agressividade, a inveja, o ciúme, os medos, a insegurança, enfim, nos torna pessoas integradas, equilibradas, sadias. É próprio da temperança o cuidado conosco mesmo, com os outros e com a natureza. E todo bom gestor precisa buscar essa saúde integral com afinco.

Bárbara fala também que precisamos de grande FÉ, ESPERANÇA E AMOR.

A é um dom a ser cultivado. E o seu cultivo é feito no contato com a Palavra de Deus, na oração, em momentos de silêncio, na contemplação. É graça de Deus, mas é também busca, requer vontade e empenho.

A Esperança se manifesta na confiança constante na graça de Deus. Permite conservar a paz interior e a serenidade em todas as circunstâncias. O Papa afirmou: Não deixem que vos roubem a esperança.

A virtude do Amor refere-se ao Amor efetivo, não apenas afetivo. Amor que tem sua expressão máxima na doação, na gratuidade, na paixão pelo ser humano e na paixão pelo que se faz. São Paulo afirma: O amor é paciente, é bondoso. Não tem inveja, não é orgulhoso, não é arrogante, não busca os próprios interesses, não guarda rancor. O amor é a maior de todas as virtudes, jamais acabará. Bárbara viveu essas virtudes em grau máximo. E ela está propondo para cada um de nós, para cada gestor, cada gestora das Unidades da Rede ICM, da Obra que é de Deus, a vivência dessas virtudes.

Mas Bárbara usa mais uma expressão que considero fundamental: Ela diz que necessitamos de um coração magnânimo. Encontrei a mesma expressão no Papa Francisco, quando ele fala aos representantes das Escolas dos Jesuítas, na Itália. E o Papa Francisco explica: na gestão, o elemento principal consiste em aprender a ser magnânimo. A magnanimidade é a virtude dos grandes e dos pequenos, que nos faz fitar sempre o horizonte! Significa ter um coração grande, ter grandeza de espírito, ter grandes ideais, o desejo de realizar maravilhas para responder àquilo que Deus nos pede.

Queridas e queridos formandos, se cultivarmos estas virtudes, estaremos habilitados a edificar o sucesso no nosso trabalho de gestão. Porque, cada vez mais tem-se observado que uma Organização sem gestão fracassa mas sem espiritualidade se esvazia. Eu acredito nisso, eu acredito em vocês.

A Bem-Aventurada Bárbara Maix e o Imaculado Coração de Maria sejam luz no nosso caminho!

Parabéns pela conquista e que Deus nos abençoe!

Deixe seu comentário