Mensagem da Província N. Sra. de Guadalupe para o aniversário da Congregação

 
 
 

Mensagem para o dia da Congregação – Província Nossa Senhora de Guadalupe

Hoje estamos celebrando os 171 Anos de Fundação da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria. Há 171 anos uma jovem de nome Bárbara Maix ornada do esplendor trinitário de Deus desceu ao jardim: olhou as flores, contemplou a diversidade e a dinamicidade em profusão. Bárbara, de ouvido inclinado, ouvindo a voz do Senhor que a chamava, desceu aceleradamente para além do jardim. E nas janelas escancaradas de sua Viena, debruçou-se e viu: prostituição, fome, piquetes nas ruas, gritos de mulheres, jovens já tragados pela deteriorização do sistema monárquico arcaico, despencando em suas fitas coloridas envelhecidas.

Debruçou-se mais, e viu jovens que adentravam à cidade, buscando trabalhos para sua sobrevivência. Pisando firme nas calçadas, percebeu que as jovens perdiam seus sonhos na cidade grande ornada de tantas culturas que constituíam o Império austro-húngaro. Olhou os rostos, e sentiu o coração ser arrebatado por uma força inigualável, e sua mente esquematizar um novo modo de viver sua vida. “Viu, sentiu, teve compaixão” e, perpassada pelo Mistério da Santíssima Trindade, mergulhou profundamente no mistério humano, onde encontrou o Jesus Crucificado por ter assumido com radical fidelidade o Projeto de Deus. Sentiu suas vísceras tremerem de um ardor compassivo, e seus rins filtrando tudo aquilo que não era do Projeto libertador de Jesus Cristo. Sua mente e seu coração uniam a voz divina penetrando em seu ser e os gritos dos pobres arranhando seus ouvidos.

Bárbara Maix, jovem autodeterminada, com agudeza de espírito sagaz, inteligente toma uma decisão: optar pela defesa e promoção dos sujeitos históricos mais vulneráveis daquele momento: as mulheres. E, quando Viena chegava ao caos impossibilitando-a de concretizar seu Projeto, Bárbara Maix com toda capacidade de seu cérebro e o amor que envolvia e moldava seu coração, pensou, planejou saídas, possibilidades, espaços e lançou-se em águas novas ultrapassando seu belo Danúbio, atravessando o Atlântico, chegava ao Brasil!

Deparava-se com novos sujeitos, as urgências que a terra nova lhe apresentava. Tudo lhe era impactante; a cidade do Rio de Janeiro, a escravidão no Brasil, as rebeliões por toda parte, um Império novo e já velho em sua organização, e na sua falta de ética e de justiça. Bárbara aterrizou! Ia fazendo o inédito nas frestas que encontrava; sua garganta de profetiza, sua voz denunciava, seu olhar como de águia as injustiças enxergava, seus pés de discípula missionária aos pobres alcançava, e na miséria mais impactante sua esperança desabrochava. Assumindo a nova terra, sem moradia própria, mas agradecendo a Deus o Convento da Ajuda que as acolhia, fez seu Projeto nascer, a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria como sol aparecer.

Hoje, 171 Anos, debrucemo-nos nas janelas escancaradas do Brasil assolado pela COVID 19, pela falta de ética, justiça social, desemprego, fome doenças, afivelado por um desgoverno infernal que brinda seus banquetes com sangue de inocentes. Hoje, somente hoje, 171 Anos de audácia, coragem e sabedoria dessa jovem que descentrou-se de si mesma para mostrar com a Vida que Deus Trindade é presente no meio dos pobres e daqueles/as que escutam sua voz e assumem a missão libertadora de forma integral.

Hoje, 171 Anos de sopro da Ruah divina na Congregação em sua ação missionária, impulsionando-nos para compreender, assumir e defender a vida e a Casa Comum. E nas calçadas brasileiras, haitianas, bolivianas de nossa Província Nossa Senhora de Guadalupe, como tantas outras calçadas(países) onde a Congregação está, queremos agradecer o movimento trinitário valsante em nossa história, na Orquestra onde Jesus Cristo é o maestro, o Espírito tocante do violino principal, chega aos ouvidos de Deus Pai a melodia que assume, nos passos da valsa, os passos do samba da verdade, o gingado do forró da justiça no compassos do carimbó das mulheres/jovens/crianças traficadas ao som da harpa do ano capitular: na descoberta de nossas raízes, no desenho de nossos espaços congregacionais, no sonho de assumir mais, na ousadia da profecia na entrega que se faz. Com fé em Deus nosso guia, como modelo a Virgem Maria, sejamos corajosas mensageiras da profecia; no semblante a alegria, na via nova e na verdade, nos projetos solidários vivamos a solidariedade.

Queridas Irmãs da Província de Nossa Senhora de Guadalupe, parabéns pelo nosso dia, parabéns para todas nós Irmãs ICM que constituímos essa orquestra valsante.

Um abraço fraterno e trinitário!

Irmã Maria Freire da Silva
Coordenadora Provincial.

Deixa uma resposta

Seu endereo de email não será publicado.