Província N. Sra. de Guadalupe publica mensagem pelos 202 anos do nascimento de Bárbara Maix

 
 
 

Em 27 de junho em 1818, nascias Tu, Bárbara mulher da terra dançante, da valsa inacabada, dos parques floridos de Viena que as revoluções abalavam, na pobreza que surgia, nas jovens que se perdiam, sem construir o que queriam, pois a velha monarquia em desordem despencava. Bárbara, hoje quero recordar, também elogiar em tua busca incansável de um Deus tão inefável, descobriste no rosto dos pobres, onde Deus estava.

E como carta divina escrita em teu coração, acreditaste que a Trindade queria uma Congregação, não mediste os esforços de pôr o plano em ação. Como uma valsa iniciando, desenhaste a partitura, e na pauta escrevestes as notas musicais do teu Projeto! Em cada linha e em cada espaço de tua partitura, ritmava o rosto dos pobres, das mulheres jovens. Na segunda linha igual “clave de Sol”, vias a Ruah divina iluminando tua vida, igualmente ao “Dó central”, aparecia Jesus Cristo como o fundamento a mais linda descoberta, como melodia encadeando harmoniosamente os sons musicais, numa sucessão rítmica de tons em diferentes rostos. E na pauta do alto, encontraste a melodia mais bela tocada pelas mãos de Deus Pai. E nos acordes e melodia sentistes o abraço aconchegante da Trindade Santa. E decorando e experimentando o som de cada letra, aprendendo sobre cada uma, fostes interagindo com a Missão de Jesus de Nazaré na promoção e defesa da vida. E nas sequências das notas musicais chegaste ao Brasil, ultrapassando o Atlântico, valsava sobre ti, a SS. Trindade. E o sonho que trazias arquitetado no seio trinitário, tuas vísceras em movimento, teus olhos na partitura, decifrando as notas, inserias um novo sujeito histórico: crianças desvalidas e os mutilados da guerra do Paraguai. Em 8/05/1849, fundava a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria no Convento da Ajuda no Rio de Janeiro. Olhando tua partitura davas continuidade a Valsa congregacional, comprometida “com o Reino de Deus e suas Consequências”. Valsavas, dançavas juntamente com teu grupo fundante. Em vários espaços de missão, assumiste um dinamismo missionário junto aos mais vulneráveis do teu tempo. Valsavas, dançavas no (que é doação) do (do reino de Deus) no Mi (da misericórdia) e no (do falar a verdade), descendo ao chão da história e da realidade, olhando para o Sol (da SS. Trindade), La onde o Espírito inspira, no Si onde cada pessoa é Sim para outra, no Dó (que chega a apoteose da dança da comunhão trinitária). Igual dançarina valsavas nas vias do Rio de Janeiro e de Porto Alegre no serviço aos pobres, e quando na entrega radical ao Senhor, a Eucaristia era teu remédio e a Palavra divina tua consolação. Ao debruçar por sobre as janelas no Rio de Janeiro berço de nascimento do teu sonho, com lágrimas nos olhos, pegaste a batuta e relendo tua partitura, sentindo o infinito em tua alma, chegaste à apoteose. E nela podias dizer para ti mesma: “Não posso suspirar sem que estejas no ar que exalo e não vivas em cada um dos meus sentidos. Meus olhos são incapazes de se fechar sem que te encontres entre a minha retina e as pálpebras”. (Elisabeth Roudinesco).

No último adeus não terminaste a valsa deixando-a, inacabada, em nossas mãos a partitura que devemos decifrá-la à luz do Projeto da Trindade, manifestado em nosso Carisma, Espiritualidade e Missão, nos acordes impactantes dos desafios que nos interpelam das linhas e espaços que devemos acrescentar na partitura. É nessa consciência que quero me unir às Irmãs das Província Nossa Senhora de Guadalupe e a todas às ICM, para continuarmos a valsa inacabada do Reino sob a Proteção do Imaculado Coração no dinamismo valsante da Trindade!

Queridas Irmãs, no movimento da partitura do Espírito Santo, valsemos neste dia deixando subir aos céus nossos parabéns a nossa querida e Bem-Aventurada Bárbara Maix, e nossa reverência e louvor a Trindade Santa em seu Mistério de amor. Um abraço no maior tom que se eleva no ventre do universo no centro da Casa Comum. (Glückliches Fest!) Feliz Festa!

Irmã Maria Freire da Silva.
Coordenadora Provincial e Conselho.

Deixe seu comentário